Série II – Diversas abordagens sobre a Missão no livro de Actos

Em relação a esta temática, os capítulos que vamos analisar serão na maioria de carisma teológica e que terão como objectivo mostrar como a capacitação do Espírito Santo é fundamental na pessoa do crente em Jesus e como isso vai influenciar o crente no seu papel de ser testemunha das actividades de Deus desde Jerusalém até aos confins da terra. Em Actos, o Espírito Santo é um dom concedido a todos aqueles que responderam a ordem de Jesus, a de: ‘não saíssem de Jerusalém, mas esperassem o presente que seu Pai prometera “e” serem suas testemunhas “(1:4, 8). Aqui é bastante claro que o Espírito Santo é o poder da missão. De acordo com Rheenen “Lucas descreve a obra do Espírito Santo na missão de Deus é de tal forma que o livro de Actos pode ser chamado de Actos do Espírito Santo. Em Actos, o Espírito de Deus está por trás de sua missão. Guiados pelo Espírito Santo, as testemunhas serão capacitadas para evangelizar mesmo “até os confins da terra” (1:8).” Assim, em Actos, o Espírito será o motor principal do evento que abre a igreja para os incircuncisos, para os gentios (10:19; 11:12) e a crença dos apóstolos confiante nessa verdade é notavelmente expressa no capítulo 15:28.
Qual é o objectivo da missão?

 
O principal objectivo da missão é fazer novos discípulos a semelhança de Jesus Cristo. Bolt afirma: “Actos, apresenta como a palavra do testemunho acerca de Jesus e sua salvação, espalhando-se por todas as nações. Sendo os membros das nações chamados a ouvir a palavra das testemunhas e convidados a responder com arrependimento e fé.” Um dos objectivos da missão no livro de Actos é dar testemunho da morte e ressurreição de Jesus Cristo como necessário para o perdão dos pecados através do arrependimento. Outro objectivo é transformar os crentes verdadeiros, em anunciadores da Boa Nova da salvação a outros. Em Actos, Lucas mostra que o plano de Deus é incorporar ‘toda a carne” no seio do povo de Deus. Nenhum limite arbitrário pode ser usado para excluir do seu agregado familiar como povo de Deus aqueles que “temem a Deus e agem com rectidão” (Actos 10:34) Assim, um dos papéis centrais da missão, tal como previsto por Lucas é a formação de comunidade entre os diversos povos, unidos na fé e no amor.
Qual é o resultado do trabalho da missão?

 
O resultado da missão é incalculável e, portanto, não podemos falar sobre a missão em termos de números, porque isso não é possível. No livro de Actos, Lucas diz-nos apenas o que aconteceu no início da proclamação do evangelho, no Dia de Pentecostes. Pedro cheio do Espírito proclamou a mensagem de arrependimento e perdão e “aqueles que aceitaram sua mensagem foram baptizados, e cerca de três milhares de pessoas foram acrescentados a igreja naquele dia” (2:41). Esse foi o início da obra de Deus, a de testemunhar um mundo perdido, através das vidas dos crentes.
Em Actos 4:33 vemos que “Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e muita graça estava sobre todos eles.” Em Actos 5:14 regista que, “mais e mais pessoas foram adicionadas ao grupo, uma multidão de homens e mulheres que acreditavam no Senhor. “À luz destas passagens, pode-se argumentar que o resultado do trabalho da missão dentro da história é simplesmente maravilhoso. De Jerusalém até aos confins da terra, os discípulos proclamaram o evangelho, fazendo novas testemunhas á semelhança de Cristo e fundaram igrejas em nome de Jesus. Nós somos parte desse grande projecto do Espírito Santo, cujo nome é a missão cristã. Aleluia!
Em Actos 8:27 vemos que o evangelho foi recebido por pessoas que vieram de longe, como o eunuco da rainha da Etiópia. No capítulo 10 vemos Pedro baptizando um não-judeu, o centurião Cornélio. Em 15:36 vemos Paulo visitando igrejas que foram fruto de viagens missionárias. Em 17:17-18 vemos Paulo “pregar as boas novas de Jesus e a ressurreição” aos filósofos epicuristas e estóicos. Em 19:8-10 vemos Paul argumentando de forma convincente sobre o reino de Deus “diariamente na sala de aula de Tirano em Éfeso durante dois anos para que todos os judeus e gregos que viviam na província da Ásia ouviram a palavra do Senhor “(v.10). Vários outros exemplos podem ser vistos como, por exemplo, Paulo diante do Sinédrio (Actos 23); Paulo perante Félix (Actos 24); Paulo diante de Festo (Actos 25); Paulo perante Agripa (Actos 26); pregação de Paulo em Roma, ao carcereiro (Actos 28). Todas estas passagens mencionadas aqui servem para mostrar como o Espírito Santo usou Paulo para alcançar pessoas de diferentes origens étnicas, religiosas e geográficas. Parte disto é visto quando Paulo prega o evangelho de Cristo ressuscitado aos judeus e gentios. Podemos concluir que o livro de Actos é tudo sobre a história da expansão da missão da Igreja Primitiva.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: