A Vinda do Espírito Santo em Éfeso (Actos 19:1-7)

Neste capítulo, Lucas narra-nos a história de alguns homens que Paulo encontrou em Éfeso que eram discípulos de João Baptista e que haviam já recebidos o baptismo de João para arrependimento, mas que nunca tinham ouvido falar do Espírito Santo. Como discípulos de João Baptista, eles tinham cumprido todos os rituais que João tinha-lhes ensinado, eles mantinham-se fielmente à espera do Messias prometido, mas não tinham ouvido ainda a mensagem milagrosa acerca do Espírito Santo. Eles felizmente aceitaram a descoberta, e foram baptizados em nome do Senhor Jesus.

Fica evidente, que eles não estavam presentes no dia de Pentecostes. O apóstolo Paulo, então ensinou-lhes sobre o assunto e ministrou-lhes o baptismo em nome do Senhor Jesus, em colocando as mãos sobre eles, o Espírito Santo veio sobre eles e eles falaram em línguas e profetizaram (v.6). Burton e Muddiman disseram que “Este episódio tem muita similaridade com a cena apresentada no dia em que os Samaritanos receberam Pentecostes (8:15-17): assim como Pedro, Paulo impôs as mãos sobre os discípulos e eles receberam o Espírito Santo (v.6). As duas passagens nos dão a mesma sequência de eventos na iniciação cristã: (. V.5, 8:16) a do baptismo “em nome do Senhor Jesus”, e em seguida, a imposição das mãos seguido do recebimento do Espírito Santo (v.6. 8:17).

A vinda do Espírito em Éfeso foi sujeito a um grande debate académico. No entanto, uma coisa é clara aqui: “Quando Paul colocou as mãos sobre eles, o Espírito Santo veio sobre eles, e falavam em línguas e profetizavam” (v.6). Aqueles que foram baptizados com o Espírito Santo continuaram com Paulo e durante dois anos, proclamaram o reino de Deus em Éfeso. Os testemunhos deles foram tão poderosos que “todos os judeus e gregos que viviam na província da Ásia ouviram a palavra do Senhor” (v.10).
Alguns estudiosos da Bíblia acham que há dois pontos em que o ensino neo-pentecostal parece receber um forte apoio nesta passagem:
A primeira tem a ver com a pergunta de Paulo no (v.2) “Recebestes, porventura o Espírito Santo quando crestes?” Dizem-se que esta questão seria inútil e até mesmo estúpido, se habitualmente o recém-convertido ao crer no Senhor Jesus, ele era preenchido pelo Espírito Santo. Se Paulo sabia que a pessoa ao crer no Senhor Jesus de imediato recebe o Espírito Santo, por que perguntaria a esses homens (designado “discípulos” e “crentes”), se tinham recebido o Espírito Santo? Sendo crentes certamente eles teriam recebido o Espírito automaticamente, isso se o ensino protestante tradicional estava correcto na sua teologia,
O segundo ponto no qual o ensino neo-pentecostal parece receber um forte apoio nessa passagem através dos (vs. 5 e 6). Isto porque, quando Paulo impôs as mãos sobre os Efésios, o Espírito Santo veio sobre eles assim como quando Pedro impôs as mãos sobre os Samaritanos. Nesta passagem fica aqui a especulação do que a imposição das mãos fazia parte do baptismo com o Espírito Santo. Ao dizer que há alguma especulação acerca da imposição das mãos, refiro-me a incerteza resultante de uma falta de conhecimento quanto ao significado preciso da imposição das mãos. Com base nas evidências disponíveis, não pode haver doutrina da imposição de mãos, como muitos neo-pentecostais admitem quando dizem que não é uma pré-condição necessária para o baptismo no Espírito.

Como temos vindo a fazer em termos de conclusão vou deixar algumas considerações aqui para a reflexão do leitor:

1º- Será que encontraremos na Bíblia uma narrativa que contém um comando de Deus para os homens serem baptizado no Espírito Santo após a sua confirmação de Jesus como Senhor e Salvador da sua vida?
2. Será que os textos provam que a recepção do Espírito Santo tem como objectivo tornar-nos santos? Ou será que simplesmente resulta em dar-nos “poder para testemunhar das coisas de Deus?

3. Será que podemos dizer que as línguas e outros sinais parecem ser um testemunho inicial de Deus para a realidade da vinda do Espírito (cf. At 15:8)?
4. Será que os textos mostram que determinadas condições tinham que ser cumpridas para além de se tornar um cristão?

Depois destas perguntas fica a promessas das minhas orações para que o Espírito de Deus o ajude a discernir tudo o que é necessário para o seu crescimento espiritual. Deus o abençoe.

Peço desculpas pela demora desta série nº VI, Pois eu encontrava muito ocupado em Angola e não tinha tempo para escrita.

Um abraço de sempre,

Danilo Carvalho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: