O DIA DA MÃE

O DIA DA MÃE

Há muitas especulações acerca do dia da mãe. Porém, tomo como certa a história que fala de uma filha chamada Ana Jarvis, uma jovem americana, natural de Filadélfia, que acabara de perder a sua extremosa mãe e tinha tal apreço por ela que resolveu honrar a memória daquela que foi o centro de todo o seu afecto, dedicando a todas as mães em geral.

Tão feliz foi a ideia, que de imediato todas as igrejas e confissões religiosas abraçaram-na até ao dia de hoje. O público em geral e o próprio governo presidido pelo Presidente Wilson, em 1941, por meio de um decreto, tornou o segundo Domingo de Maio, feriado nacional, dedicado às mães.

Também a Igreja Católica dedica o dia à Virgem Maria, mãe exemplaríssima, cujas elevadas virtudes deveriam servir de exemplo a todas as mulheres. Infelizmente, tal coisa não acontece porque, precisamente, aquilo que mais dignifica o papel da mulher está perdendo o seu valor: ser mãe.

As Sagradas Escrituras citam a palavra mãe para cima de 300 vezes e o mandamendo do Senhor relativamente aos filhos é: “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prologuem os dias que o Senhor teu Deus te dá.” (Êxodo 20:12).

Infelizmente nem todas as mulheres darão à luz um filho, porém hoje já se sabe que através da adopção as mulheres podem ser mães, pois actualmente, ser mãe é saber exercer a missão educacional. Não importa quão preparada se julga estar ou quanto conhecimento já se adquiriu, há sempre algo a aprender.

Em I Samuel 1:11 recorda-se a oração e a dedicação de Ana: “E votou um voto, dizendo: Senhor dos Exércitos! Se benignamente atenderes para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva, te não esqueceres, mas à tua serva deres um filho varão, ao Senhor o darei, por todos os dias da sua vida.”

Deus respondeu à sua oração. Ana concebeu um filho e chamou-o Samuel (Deus ouve). Quando o menino foi desmamado, a mãe levou-o ao templo para ser treinado por Eli, o velho sacerdote. No versículo 28 do primeiro capítulo vem a sua consagração: “Ao senhor eu o entregarei, por todos os dias que viver; pois ao Senhor foi pedido…” (I Samuel 1:28)

Toda a mãe que tiver consciência que ela é apenas mordoma do filho que Deus lhe deu, cedo ou tarde ela será homenageada pelo seu filho. Os defensores dos Direitos Humanos dizem: “As crianças são patrimónios da Humanidade.” A mãe sábia diz como a Ana: ao Senhor foi pedido, a Ele o pertence.

Com este artigo quero homenagiar a minha querida mãe que bem cedo compreendeu a minha chamada pastoral, e tem vindo a apoiar o meu ministério, mesmo sabendo que isso me tem posto a viver longe da comunhão dela, vivendo em terras longíncuas.  No Domingo passado, 2 de Março, celebrou-se aqui na Inglaterra o dia das mães; estagiado de saudades telefonei para minha  mãe apenas querendo ouvir a voz dela e dando graças a Deus por todo apoio que me tem dado.

Faço votos de um dia das mães alegre para todas as mães do nosso Planeta.

Deus vos abençoe!

Danilo Carvalho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: